quarta-feira, 22 de março de 2017

Ex Jogador do Barcelona visita treino de futsal feminino do Colégio Olympus

Ronald  com as alunas do futsal feminino do Colégio Olympus e do F10 Sports
Ontem às 16:30 horas, estava eu, treinando as garotas do futsal mirim e infantil do Olympus, na área das arquibancadas do ginásio Carlos Fernando, pois meu horário na quadra é das 17 às 19 horas, quando recebemos a visita do ex jogador de futebol do Barcelona, Ajax e Seleção Holandesa, Ronald de Boer, juntamente com sua filha Demi de Boer e uma comitiva da ONG Plan, a qual já prestei serviços como capacitador de técnicos de futebol.

Professor Fredson e Ronald
Enquato as garotas do futsal mirim e infantil do Colégio Olympus praticavam os fundamentos, Ronald através da sua intérprete, me falava dos objetivos da Plan no Projeto do Futebol Feminino. Foi o momento que observamos muitas particularidades entre projeto de futebol feminino da Plan e do futsal feminino do Colégio Olympus. Começando pela inserção das garotas ao esporte, oportunizando melhoras no seus aspectos motor, físico e afetivo social, promovendo a socialização das mesmas e protegendo-as das drogras, gravidez na adolescência, pedofilia e assédio homossexual induzido, o que tem discriminado muito o futebol feminino, por parte da mídia e da sociedade.

Temos tanto em comum, que o Colégio Olympus já oporunizou bolsas de estudos para a prática do futsal à muitas alunas da Plan, como foi o caso de Josilda Oliveira, que veio para o Olympus como bolsita no 7º ano e ficou até 3º médio, ingressando no curso de Educação Física, e agora formada, exerce a funçao de Diretora de Esportes, na Superintendência de Esportes de Codó, a qual Ronald conheceu no dia anterior e até bateu uma bolinha com ela no Estádio Renê Bayma. Atualmente dentre as várias alunas bolsitas esportivas que o Olympus tem e que fazem parte do Projeto da Plan, desataca-se Hélyda Katriny, que joga na equipe de futsal infanto e faz provas no atletismo, além de ser uma excelente e estudiosa aluna nas diversas matérias da grade curricular.

Ronald, visitando a residência de Hélida
Após fotografar com as alunas mirins e infantis, Ronald deixou bolas de lembranças, observou parte do treino do futsal infanto e de minha equipe adulta F10 Sports, deixando a imagem de um ex-atleta campeão e de um homem solícito, humilde e enganjado no Projeto do Futebol Feminino da Plan, juntamento com sua filha.

Ronald esteve antes no Estádio Renê Bayma, em Timbiras, São Luís e São José de Ribamar que são as cidades maranhenses atendidas pelo projeto do futebol feminino da Plan.

Realizado pela Plan International Brasil, o Projeto de Futebol Feminino tem como objetivo ampliar as oportunidades de inclusão e integração social de jovens e adolescentes, na faixa etária de 14 a 24 anos, nas comunidades rurais das cidades de Codó, São Luís e São José de Ribamar, no Maranhão. Agora, o projeto entra em nova fase, que contará com o apoio dos pais das meninas participantes da iniciativa.

Com o nome “La League”, o projeto desenvolvido pelo escritório da Holanda se tornará uma marca internacional para apoiar meninas a praticarem futebol. Nesta nova fase, a iniciativa fará com que os pais apoiem suas filhas a jogar futebol, daí a importância de Ronald de Boer, pai de cinco meninas, uma delas, Demi de Boer, que é embaixadora de projetos sobre gênero da Plan International Holanda e sabe dos desafios e dificuldades ocasionados pela desigualdade de gênero em todo o mundo. Ela também está no Brasil.

“Se isso é notado onde vivo, imagino em regiões como o Brasil e no interior deste País. Eu como pai gostaria de falar para os brasileiros a importância de eles se envolverem nesta temática”, afirma o jogador que, nessa semana em Codó, no Maranhão, conversa com pais de meninas participantes do projeto, reforçando como podem apoiá-las e participar das ações.

A prática do futebol pode ser uma importante ferramenta para as meninas. Aumentar a participação delas neste esporte pode contribuir para a redução da gravidez e casamento precoce, entre outras violências. No Brasil, como ainda estamos falando de um país machista, isso se reflete no futebol e em casa, quando os pais impedem suas filhas praticarem tal modalidade. Para derrubar estas barreiras, a Plan International realiza projetos de empoderamento feminino por meio do futebol em mais de 25 países.

Fredson Ricardo - CREF 217/g-PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário sobre a matéria acima.