segunda-feira, 4 de julho de 2011

A decadência do voleibol codoense

Voleibol de domingo na quadra do Colégio Olympus
O Brasil é o melhor país do mundo no voleibol masculino e feminino em praticamente todas as categorias. No entanto esta realidade está muito longe da nossa querida Codó. Lembro-me que na década de 80 existiram vários campeonatos na quadra do Guarapary, com equipes como Banco do Brasil e Bradesco. Posteriormente comecei a praticar o voleibol na areia e na quadra do Guarapary e tive a oportunidade de ser várias vezes campeão nas duas modalidades. No entanto, o voleibol encontra-se em plena decadência na nossa cidade, pois não existem equipes e nem torneios.

O voleibol ainda sobrevive em nossa cidade graças aos poucos professores de educação física que utilizam seus conteúdos em suas aulas, e também a alguns treinadores escolares que trabalham com equipes mirins, infantis e infanto com objetivo de participarem dos Jogos Escolares Codoenses e conseguirem chegar aos JEM´s.

Posso citar nestes últimos 10 anos, pouquíssimas escolas que trabalharam na educação física o conteúdo de voleibol: Olympus, Batista, Remy Archer e Renê Bayma.Outro fator importante na decadência do voleibol codoense é a falta de campeonatos, pois a SEDELJ organiza anualmente o voleibol dos JECO´s, no entanto, o último campeonato codoense foi realizado em 2009.

Em Codó existe a aproximadamente 10 anos, a LICOV (Liga Codoense de Voleibol), que entra ano e sai ano e não consegue organizar um campeonato.

Além dos Jogos Escolares Codoenses, o voleibol só é praticado na quadra do Colégio Olympus, onde o treinador Herbeth Silva (Betinho) abre as portas do Colégio para que a comunidade voleibolística e Codó possa praticar este esporte nas tardes de sábado e domingo, onde vemos atletas escolares, ex atletas e amantes do voleibol.

Encerro com tristeza, vendo que a cada dia que passa, um esporte tão prazeroso e benéfico à saúde, tenha tão pouco espaço em nossa querida Codó.

Fredson Ricardo - CREF 217/g-PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário sobre a matéria acima.