domingo, 1 de janeiro de 2017

No último dia de 2016, Cristo Rei é campeão codoense de handebol

Final feminina: Cristo Rei x Olympus
Com organização da LICOHAND (Liga Codoense de Handebol), que tem como presidente o Professor de Educação Física, De Assis, aconteceu na última semana de 2016 o Campeonato Codoense de Handebol Adulto, masculino e feminino, no ginásio Carlos Fernando.

Pelo que pude apurar, o handebol codoense que já não tem muitos campeonatos locais e nem muitas equipes permanentes, ainda tem problemas de equipes e seus representantes com a LICOHAND e vice-versa, fazendo com o que o esporte não evolua em nossa cidade.

Algumas equipes não participaram do campeonato, pois alegaram que na primeira reunião ficou decidido por todas uma forma de disputa e a LICOHAND não cumpriu. O certo é que o campeonato foi realizado com as equipes: Cristo Rei, Olympus, Polegar e CHC no feminino, e Cristo Rei, CHC, IFMA e Polegar no masculino.
Cristo Rei: campeão codoense 2016

A equipe do Cristo Rei, que reforçou suas equipes com atletas de Caxias, conseguiu manter regularidade na curta competição e sagrouse-se campeã codoense masculino e feminino, despontaando com o projeto de desenvolver o handebol nas categorias: mirim, infantil, infanto e adulto, dando assim continuidade aos atletas e tornando a equipe permanente, o que já é feito pelo Colégio Batista e está iniciando no Colégio Olympus.
Cristo Rei: campeão codoense de handebol 2016

Árbitros: Almeida, De Assis e Renato
Apesar do esforço do presidente, De Assis, que atuou como organizador e árbitro, a competição não teve a dimensão que um campeonato codoense deveria ter. Primeiramente a participação de poucas equipes. Depois o fato de não haver divulgação e nem torcida, pois praticamente só os atletas ficavam na arquibancada aguardando seus jogos, além do fato do ginásio ficar  com acesso apenas pelo portão dos atletas, evitando assim que alguém pudesse assistir aos jogos. Nem mesmo troféus ou medalhas foram entregues, pois segundo o presidente, um representante de uma secretaria da gestão anterior prometeu tal premiação e um político prometeu um jantar com todas as equipes, o que pode ser que ainda aconteça. Fica de positivo o empenho dos técnicos e atletas que apesar de estarem competindo na véspera do ano novo, cumpriram com suas obrigações e fizeram o seu melhor.

Tenho escrito muito sobre o handebol codoense, desde as conquistas em competições escolares do Colégio Batista, até às nacionais do Hollanda. Creio que um entendimento entre representantes de equipes e LICOHAND e apoio da nova gestão esportiva municipal, poderão elevar o handebol codoense a um bom nível municipal, regional, estadual e nacional.

Há dois anos e meio atrás, escrevi neste mesmo blog, um artigo: handebol codoense: desaparecer ou renanscer? Eis a questão!. Vejo que pouca coisa mudou em muito tempo. Torço para que em 2017, o handebol e os demais esportes alavanquem, oportunizando a prática á população em geral, desde os alunos de educação física, até competições do mirim ao master. Promovendo o lado social, evitando assim que nossos jovens ingressem no mundo das drogas, crimilidade e prostituição; o lado saudável, evitando desde obesidade infantil até o sedentarismo de maneira geral; e o lado competitivo, promovendo competições e equipes fortes e organizadas, para representarem bem nossas instituições e nossa cidade.

Fredson Ricardo - CREF 217/g-PI


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário sobre a matéria acima.